• GM Rhaekyrion

Saiba identificar o Gênero do seu Livro e Alcance mais Rápido seus Leitores

Atualizado: 22 de Set de 2020

Gênero literário é o conjunto de características textuais que resumem o estilo do seu livro e da sua escrita. Existem diversos critérios que são levados em consideração para que uma obra se classifique em determinado gênero.


Boa parte dessa divisão se deu na Era Antiga, nos tempos dos filósofos gregos, lá pelos dias de bonança de Platão e Aristóteles. Então, já podemos perceber que há muito a nossa humanidade se importar em distinguir seus textos.


Com a modernidade, as coisas começaram a se misturar, tornando os estilos fluídos e variantes, que deram origem a diversos subgêneros. Porém, o princípio da classificação, digamos, as esferas maiores, parte da seguinte divisão: gênero narrativo ou épico, gênero lírico e gênero dramático.


Definir com exatidão qual o gênero literário do seu livro faz toda a diferença ao decidir seu público alvo


Saiba identificar o gênero do seu livro e alcance mais rápido seus leitores (Foto: beduka.com)

Quem disse que escritor não precisa estudar? Pois é. Qualquer carreira necessita da sua bagagem de conhecimento e os criadores de mundos não fogem desse padrão. Mas Gabi para que saber disso tudo? É muito complicado!


É agora que você entende a razão de não conseguir alcançar seus leitores com uma eficiência maior, pois compreender e saber classificar qual gênero literário seu livro se encaixa, facilita na hora de descobrir seu público alvo.


Para qualquer coisa que você for fazer na vida, principalmente escrever, é necessário que haja um objetivo e um tipo de público em mente. No marketing essa distinção é chamada de nicho, que significa achar seu público alvo e atingi-lo. Quem vai ajudar a achar exatamente qual o seu público é o gênero literário. Então, deixa de moleza e vem aprender a diferença entre eles.


Gênero Lírico – Poesia do meu coração


Saiba identificar o gênero do seu livro e alcance mais rápido seus leitores ( Foto: pensador.com)

A emoção mais profunda é a principal ferramenta do autor lírico. Ele vai fundo, no mais íntimo de sua alma, para resgatar as sensações intensas, que estão envolvidas com ritmo e melodia. Embalando versos sonoros.


Lírico vem da palavra lira, que era um instrumento comum na Grécia Antiga e por isso tem esse nome, por representar musicalidade. São exemplos de gênero lírico as poesias, o ode, a sátira, o hino, o soneto, o haicai e o acróstico.


Quer saber mais sobre o Gênero Lírico e seus subgêneros? Basta clicar aqui.


Gênero Narrativo – Vem prosar comigo, vem


Saiba identificar o gênero do seu livro e alcance mais rápido seus leitores (Foto: GMRhaekyrion)

Esse é o gênero do escritor do signo de gêmeos. De quem gosta de falar muito, que tem muita história para contar. Sagas e mais sagas, sequências longas, cinco livros ou mais. Porque, o narrativo quer dizer prosa e a prosa é inspirada em eventos reais e fictícios, que formam enredos longos, contendo cenas consecutivas no espaço e no tempo.


O gênero narrativo possui o clássico começo, clímax e conclusão. Lembrem-se sempre disso. Se seu livro possui essas etapas e estão em uma ordem contínua, dividida por cenas, então você está escrevendo um livro narrativo.


Aqui estão os contos, os romances, as crônicas, as novelas e os similares a esses. É nesse gênero que vamos encontrar a classificação mais extensa de subgêneros, que é o ponto onde deve prestar mais atenção. Dentro do gênero narrativo temos:


Romance:


Para quem pensa que romance é aquele livro de amor, está muito enganado. Um romance significa uma história longa e contínua, podendo ser romântica (que é a história de amor) ou não.


Nascido na Era Medieval para contar os grandes eventos ocorridos no período, marcando o Dom Quixote, de Cervantes, que é o paradidático de quem escreve nesse gênero. Os romances podem ser de aprendizagem, policial, psicológico ou histórico.


Fábulas:


Você vai saber matar de cara quando ver uma fábula, porque ela sempre tem uma moral no final da trama e são exclusivamente ficções. Totalmente do mundo imaginário.


Além disso, os personagens são comumente animais ou objetos ou artefatos. Representando a mensagem que o autor deseja passar em sua moral da história.


Novela:


Ela está entre o romance e o conto, pois é comprida, mas não chega a ser tão longa quanto um romance e pode ser dividida em cenas. Geralmente muito usada na montagem de roteiros e com histórias fictícias ou de embasamento verídico.


Conto:


É uma história ficcional curta, que apresenta um enredo breve. É como um romancinho, por assim dizer. Atualmente vem apresentando bastante volume, em alguns casos. O maior exemplo são os contos do Stephen King, que podem ser de uma página ou de setenta.


Ensaio:


Esse é uma produção literária resumida, que também faz parte do gênero literário lírico e contém certa didática. Possui uma opinião pessoal do autor marcada no texto, com ponderações morais e filosóficas sobre um determinado assunto.


Poesia Épica ou Epopeia:


São uma espécie de poemas mais compridos, que tem um cunho narrativo e vão te contando uma história de ações heroicas. Muito usado na Era Medieval para retratar eventos históricos, que tiveram um floreio heroico em sua escrita.


Subgêneros modernos:


Atualmente a quantidade de estilos de escrita ficou tão ampla e complexa que esses padrões antigos precisaram se tornar mais uma referência histórica.


Hoje, temos os subgêneros de: apocalipse zumbi, autobiografia, biografia, chick-lit, fantasia e fantasia científica, ficção científica, folhetim, horror; literatura brutalista, fantástica, infanto-juvenil, jovem-adulto (YA); metaficção, neocrítica, novelas de cavalaria, paródias, sick-lit, space opera, suspense, vampirismo; literatura gótica, esotérica, espírita; auto-ajuda, negócios, steampunk, cyberpunk, espiritualista, aventura, guerra. Por fim, as sagas e trilogias.


Como são muitos, começamos a destrinchar nas matérias seguintes, basta clicar aqui.


Gênero Dramático – choram as rosas e os cravos


Saiba identificar o gênero do seu livro e alcance mais rápido seus leitores (Foto: rogeriocerqueiraleite.com.br)

Iniciada na Grécia Antiga, com a idealização da tragédia grega, esse gênero é aquele usado no teatro, na peça. Sendo fundada em homenagem a Dionísio, deus do vinho.


Esse gênero é usado para montar roteiros e por essa razão ele acabou se misturando muito com a narrativa e os subgêneros que ela envolve, por acabar tendo um estilo literário para o audiovisual. Entretanto, ao pé da letra, são as peças teatrais. E dentro desse gênero temos: a farsa, a tragédia e a elegia.


Entendo que é muita coisa, mas os pedacinhos estão destrinchados aqui.


Beijos de Fogo.

Posts recentes

Ver tudo

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Twitter
  • Pinterest

© 2020, criado e editado por Clara Ciríaco.

livros, escritores, dicas de escrita e escrita criativa