• GM Rhaekyrion

Os 3 Maiores Desafios de Escrever ‘Vício’

Quando assumi a carreira de escritora, também me coloquei em duas missões: a de escrever protagonistas femininas de verdade e a de representar mulheres lésbicas com a mesma força e poder.


Para quem não sabe, eu sou lésbica, casada com uma mulher empoderada e incrível, tão amante dos livros quanto eu, e a responsável pela edição e revisão crítica das minhas histórias.


Buscamos por representatividade, queremos nos sentir representadas, mas encontrar esses quesitos nos livros de fantasia é quase inexistente. E quando tem, não passam de coadjuvantes, com finais trágicos e relacionamentos diminutos.


Não é novidade que estou buscando pela ascensão do protagonismo feminino na fantasia e quando ele veio com um combo LGBTQIA+ a coisa melhorou 200%.


O Nascimento de Pétala e Neblina


Os 3 Maiores Desafios de Escrever ‘Vício’
Os 3 Maiores Desafios de Escrever ‘Vício’

Como aconteceu com a maioria das minhas histórias, Pétala e Neblina nasceram de um RPG de Texto que escrevi junto à minha esposa.


Pétala foi minha segunda personagem original, um amor de mutante, dona de um passado tenebroso e uma personalidade difícil.


Em contrapartida, Neblina é seu par romântico, a menina rebelde, que tenta fugir daquele Instituto aprisionador.


As duas vivem uma relação de admiração secreta, por viver em “mundos” diferentes, uma que defende o lugar onde foi largada, e a outra que só quer sair dali o quanto antes.


Existe muito amor envolvido nesse enredo, que transformei em uma fantasia urbana, cheia de mistério, muita inspiração em X-Men e Stramberry Panic.


Foi Mais Fácil Publicar na Amazon?


Comparando com Na Capela de Santa Bárbara, publicar Vício foi bem menos estressante. Isso se deveu ao planejamento editorial que fiz junto a minha esposa e minha designer.


Planejar é sempre essencial, ter datas, prazos e atividades divididas por períodos me deu mais segurança e mais profissionalismo quanto a publicação.


Também fiz uma programação de marketing, que também melhorou o resultado de alcance e download do conto. Então, aprendi que tinha que sair do lado escritora e entrar no modo editora chefe. Foi uma experiência muito melhor do que o primeiro conto.


Agora, sem mais delongas, vamos aos desafios.


Desafio 1: Desapegar do Passado do RPG


Comecei falando como Pétala nasceu, sua origem no RPG. O mesmo motivo pelo qual essa personagem veio ao mundo, também foi sua barreira.


Planejar uma aventura para o meu clã é MUITO diferente de construir um roteiro para um livro. Entretanto, existia apego emocional à história que ali foi feita.


Então, excluir os eventos, pensar no enredo como algo de fato novo, nos detalhes que no RPG ficam de lado e em como os eventos aconteceriam, foi o primeiro desafio de Vício.


Desafio 2: Não Contar Surpresas Reveladoras


Quem leu essa criança veio me perguntar se não tem um livro, se a história continua. Então, eu não sei quanto a isso, ainda estou analisando (quem sabe no futuro?).


Porém, para evitar de contar surpresas significantes, para caso saia um longa, precisei enxugar e omitir VÁRIOS detalhes.


Foi superdifícil não descrever, explicar, estender e revelar aspectos da história, que seriam considerados spoilers.


Desafio 3: Abordar o Vício de Forma Sutil


O ponto chave é o vício da Pétala. Ela é viciada em heroína, que a mantém presa ao seu passado e ao tormento que vive no Instituto.


Para conseguir colocar as ações de uma pessoa viciada, pesquisei muito sobre abstinência, bioquímica do cérebro viciado, vários documentários sobre tráfico e a psicologia emocional de alguém que cai em um vício – existe uma questão psicoemocional que pré-dispõe algumas pessoas a se tornarem viciadas e outras não.


Depois de muita busca, também acessei um formulário descritivo que elaborei sobre crise e sintomas de abstinência, o qual joguei em alguns grupos do FaceBook e com total sigilo e fins de coleta de descrição.


Essas informações foram essenciais para que pudesse colocar Pétala em um estado característico, mas não tão grave.


Quis abordar as questões da dependência química de um jeito sutil e da forma que alguém como ela, que sofreu tanta coisa, foi induzida a usar para se libertar de suas dores.


Qual a Maior Lição desse Conto para um Escritor?


Planeje o seu lançamento, se dedique na mesma intensidade com os elementos editoriais. Simplicidade também é a chave para boas capas e sinopses.


Tenha aliados no processo de publicação, faça uma boa agenda de marketing – peça ajuda, se não conseguir sozinho – e acredite na sua história.


Escrever com o coração é o segredo para tudo. Expressar sentimentos, é isso que os leitores buscam. E, claro, representatividade.


Vício é uma história sobre mutantes, aventura, dependência e liberdade, mas, acima de tudo, é uma prova de protagonismo feminino lésbico.


Quer Conhecer essa História?


Os 3 Maiores Desafios de Escrever ‘Vício’
Os 3 Maiores Desafios de Escrever ‘Vício’

“Alfa V,

Um dos nossos está correndo um grande perigo e é alguém muito especial. Desvios podem acontecer, principalmente na condição e idade de vocês, mas não devemos dar razão às dúvidas.

Faço uma ordem de busca para Alfa X.

A recompensa especial você já sabe.

Com carinho,

B.”

Pétala leu as letras bem desenhadas daquele bilhete mais uma vez, acendeu o isqueiro e se desfez das provas com fogo.

— Considere o serviço feito.


Adquira o seu aqui!

11 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo