• GM Rhaekyrion

O Bom Escritor Lida com as Críticas de Forma Leve

Atualizado: 17 de Set de 2020

Meu querido Jarbas, vamos a mais uma lição aprendida durante esses anos no ramo da escrita. Dessa vez vamos falar sobre o tópico mais importante da carreira de um escritor. Espero que esteja com paciência, porque a história é longa.


Falei sobre a minha rotina de organização antes de escrever meus livros e contos e sobre como abandonei tudo para viver de escrita. Durante esse período conturbado, ouvia muitas pessoas desdenharem e meterem o dedo no meu caminhar.


Apesar do meu trabalho rentável ainda não ser fruto dos meus livros e da minha empresa, antes de ter o emprego de hoje, não queria me envolver com nada relacionado a profissão a qual me formei. Tinha muitos traumas e não queria voltar a não ter tempo de escrever.


Então, como tudo na minha vida, as pessoas me julgaram, me criticaram e desdenharam da minha posição. Lidar com essas farpas é a pior parte, posso garantir. Nenhum perrengue financeiro consegue superar a exaustão emocional de lidar com pessoas âncoras.


Saber lidar com as críticas é uma dádiva que poucos escritores possuem


O bom escritor lida com as críticas de forma leve (Foto: conteudo.movidesk.com)

Aprendi a lutar pelos meus sonhos e ideais de berço, mesmo quando meus pais eram contra. Lutei pela minha opção sexual, pelo meu estilo de vida, para entrar na faculdade que desejo e para ser escritor.


Costumo dizer que sempre vi o mundo de forma diferente do padrão. Moro em uma cidade pequena, apesar de ser a capital, e a maioria das pessoas pensam limitado. Então, batalhar para expandir os horizontes fez parte da minha vida.


Não foi diferente quando resolvi assumir a minha escrita como profissão e por não existir uma formação tradicional para ser escritor, a maioria das pessoas encaram esse cargo com muito desdém e desconfiança.


Parte pela falta de valorização nacional e parte por não recebermos o devido destaque pelas obras que fazemos e que são um sucesso. Quando ouvia esses pequenos comentários, usava a raiva para aplicar no trabalho. Transformava aquela energia ruim em produtividade. Porque ninguém pode dizer o que me faz feliz, apenas eu.


Quando isso não funcionava, me espelhava em pessoas com histórias de superação. Uma delas foi a J K Rowling, que viveu um verdadeiro inferno antes de ser a escritora de ficção mais famosa do mundo.


Outra pessoa foi a Nathália Acuri, a fundadora do canal Me Poupe!, que me inspirou a seguir adiante sem ouvir os demais e, ainda, a cuidar do meu financeiro. O maior lema da Nath é que nada é impossível, basta ter planejamento, foco e disciplina. Pessoas inspiradoras podem vir de qualquer área, não só na escrita.


Críticas boas podem doer, mas devem ser ouvidas. Críticas ruins devem ser ignoradas


Ouvir as opiniões alheias a respeito de sua profissão é só o começo. Quando aprendi a não mais ouvi-las, me libertei de um peso imenso e pude enxergar mais oportunidades em minha vida.


Então, vamos ao outro lado da moeda. As críticas a respeito de sua obra podem não ser as melhores. Na época que escrevia fanfics recebi muitas críticas negativas, xingamentos e pessoas que simplesmente não gostaram do meu enredo.


Acho que fui sortuda em ter agido com calma. Pensava que essas pessoas não tinham nada para acrescentar, apenas isso e as tratava bem, pois sei que também não gosto de várias obras e mesmo expressando minha opinião, não gostaria de ser tratada com grosseria.


Mas, e os comentários maldosos? Apenas ignorava. Apagava e fingia que nada aconteceu. Porque aprendi a dar valor aos comentários positivos, as pessoas que tentavam me ajudar, mesmo quando a crítica era dolorida e a enxergar as coisas como aprendizado.


Nem sempre foi fácil, acho que nunca vai ser, mas é importante saber filtrar a crítica de opinião pessoal e saber quando você precisa melhorar e quando você precisa defender seu ponto de vista e segui-lo sem pensar nos demais.


Não é fácil achar esse limiar e muito menos lidar com os sentimentos ruins, mas a paciência é o melhor caminho. Saber quem sou e onde desejo chegar com clareza e convicção foram meus alicerces. Além disso, valorizei quem esteve comigo, quem me apoia e quem sempre busca um jeito de me ajudar, mesmo que seja apenas com palavras de incentivo.


Lembre-se: se valorize!


Beijos de Fogo.

Posts recentes

Ver tudo

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Twitter
  • Pinterest

© 2020, criado e editado por Clara Ciríaco.

livros, escritores, dicas de escrita e escrita criativa