• Rachel Ciríaco

Escritor: Carlos Ruiz Zafón e Sua Paixão Por Estátuas

Atualizado: 23 de Set de 2020

Quando, no inicio do nosso processo de criação desse blog, resolvemos escrever sobre os escritores que nos inspiram, o primeiro nome que nos veio em mente foi Carlos Ruiz Zafón, um escritor, em minha opinião, completo, desde a complexidade que usa em suas tramas, ao jogo de palavras que arrepia na beleza, e a capacidade de envolver o leitor, fazendo-nos sentir como se fizemos parte do cenário e da mente das personagens.


Foi com imenso pesar que, ao começar a escrever sobre sua história, descobri que Zafón nos deixou no último 19 de junho de 2020, duas semana antes de eu dar início ao meu trabalho de pesquisa sobre ele.


Esse material é, portanto, não só um artigo sobre um autor para inspirar, mas uma homenagem a esse escritor que conseguiu encantar milhões com suas obras, e que embora tenha partido em matéria, nos deixou sua alma e seu coração em cada livro escrito.


As Obras de Carlos Ruiz Zafón


Escritor: Carlos Ruiz Zafón e Sua Paixão Por Estátuas (Foto: GMRhaekyrion)

Zafón ficou conhecido no mundo pela quadrilogia: O Cemitério dos Livros Esquecidos. O primeiro livro da série foi A Sombra do Vento, publicado na Espanha em 2001, sendo traduzido para nossa língua em 2004, pela editora Objetiva.


Em seguida Zafón lançou O Jogo do Anjo (2008), O Prisioneiro do Céu (2011) e O Labirinto dos Espíritos (2016), na ordem de publicação, pois, embora eles se completem, não importa a ordem que eles serão lidos.


Mas engana-se quem pensa que A Sombra do Vento foi a primeira obra publicada do autor. Zafón começou publicando uma série de livros juvenis, a trilogia da Névoa. Sua história no mundo da escrita começa em 1993, quando venceu um concurso Edebé de literatura com o livro O Príncipe da Névoa, que vendeu mais de 150 mil exemplares na Espanha.


Surge aí um grande escritor que nos anos seguintes publicou O Palácio da Meia Noite e as Luzes de Setembro, que só vieram ser traduzidos para o português em 2013, quase vinte anos depois de sua publicação na Espanha. Ainda no caminho dos romances juvenis escreveu Marina, em 1999, uma obra mistura doses de mistério, terror e drama, capazes de fazer chorar no final do livro.


História do Escritor


Escritor: Carlos Ruiz Zafón e Sua Paixão Por Estátuas (Foto: Pinterest)

Nascido em 25 de setembro de 1964, em Barcelona, formou-se em Ciências da Informação e mesmo que apaixonado por literatura só viria a publicar seu primeiro livro aos 29 anos, depois de abandonar a carreira publicitária.


Segundo o autor em nota no seu primeiro livro: “O Príncipe da Névoa foi o primeiro romance que publiquei e marcou o inicio da minha dedicação completa a esse oficio singular que é o de escritor. Tinha 26, 27 anos na época, o que na ocasião me parecia muito, e na falta de um editor tive a ideia de apresentá-lo num concurso de literatura juvenil…”


Zafón, ganhador de prêmios literários, como Correntes d’Escritas, que contempla escritores da língua portuguesa e espanhola, foi consagrado como o segundo escritor espanhol mais lido do mundo, perdendo apenas pra Cervantes, traduzido para mais de trinta idiomas e publicado em mais de cinquenta países.


Na apresentação do seu último livro publicado, O Labirinto dos Espíritos, explicou porque nunca deixou que seus livros fossem adaptados para o cinema, mesmo com tantas ofertas tentadoras: "Para mim, estes livros são uma homenagem à literatura, à palavra escrita. Portanto, transformá-los para o cinema, ou televisão, seria uma traição".

Espero que jovens escritores se sintam tão inspirados quanto nós, a equipe de GM Rhaekyrion, pelas obras de Zafón, e que novos leitores estejam tentados a descobrir os mistérios das obras desse escritor maravilhoso.


Até a próxima.

Posts recentes

Ver tudo

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Twitter
  • Pinterest

© 2020, criado e editado por Clara Ciríaco.

livros, escritores, dicas de escrita e escrita criativa