• GM Rhaekyrion

10 Técnicas de Escrita Criativa Infalíveis Para Escritores

Entrando no mundo da Escrita Criativa de fato, vamos de cara conhecer 10 técnicas infalíveis para quem é escritor e deseja aprender realmente a dominar essas tais técnicas de escrita.


A importância de aprender o lado mais burocrático de uma carreira artística é conseguir se libertar da dependência da inspiração.


Quando se trabalha com criatividade é normal acabar sofrendo bloqueio criativo, mas ser refém de momentos pode atrapalhar o desenvolvimento da carreira.


Para escapar dessas ciladas é preciso entender as técnicas e se apegar aos hábitos positivos. Então, finalmente, vamos finalmente conhecer 10 técnicas incríveis.


10 Técnicas de Escrita Criativa Infalíveis Para Escritores (Foto de Kaboompics .com no Pexels)

1 – Tenha uma Rotina de Escrita


Escrever é hábito. Desenvolver uma habilidade e ser bom no que faz é resultado de uma rotina. Boa parte dos problemas envolvendo bloquei criativo e falta de produtividade vem de uma falta de rotina.


Existem diversos estudos que comprovam a importância de possuir uma rotina, dentre eles é o condicionamento do seu cérebro a criar sinapses voltadas para a atividade desejada.


Além disso, reduz o estresse e aumenta a sua confiança, facilitando o processo de criação e a treinar as regiões cerebrais voltadas a criatividade.


Repetir o comportamento de escrita diariamente, reservando um tempo para tal, é evoluir na carreira e se livrar da dependência da inspiração. Pois nem sempre estamos dispostos e com a fada da criatividade ao lado.


Nosso cérebro é preguiçoso, vivo falando isso. Para combater as armadilhas dessa massa de neurônios, precisamos ser persistentes e possuir uma rotina.


2 – Hábito de Estudo


Nenhuma mente consegue se manter sã e produtiva sem consumir estudos, principalmente os fora da nossa zona de conforto.


Ser escritor é quase como ser um cientista, pois demanda muita dedicação acadêmica. Por exemplo, se você for adepto da alta fantasia precisará estudar geologia, evolução, relações políticas, cultura e comércio para criar seu mundo.


Ou, se preferir o Terror e Horror, suspense, romance, qualquer outro gênero ficcional, precisará saber sobre psicologia humana, caso deseje ter personagens apaixonantes.


Consumir conhecimentos variados, seja ou não da sua área de atuação, aumentará as conexões sinápticas do seu cérebro e, consequentemente, acarretará elevará seus processos criativos.


3 – Possua um Banco de Ideias


Já falei sobre a organização das ideias em matérias anteriores e em como colocá-las no papel e dentro dessas matérias defendo a existência de um bloco de notas (físico ou virtual) onde possa anotar as ideias.


Por qual razão? Quando se trabalha com arte, seja ela qual for, ficamos condicionados a ter momentos de inspiração. Sendo assim, as ideias não avisam quando vão surgir e, creia, elas podem atrapalhar a sua rotina.


É comum sermos atingidos por uma desses lampejos vorazes no ato da escrita, muitas vezes com enredos já prontos, e esse instante de despertar pode atrapalhar o andamento da sua história.


De que forma? Quando se escuta ideias demais, acabamos por perder o foco e ramificar demasiadamente um mesmo ponto do enredo. Ou, a história fica remendada, carecendo de profundidade e oscilando ao longo da narrativa.


Os personagens podem variar de personalidade ou os objetivos podem mudar drasticamente. Isso acontece porque sempre haverá uma forma diferente de enxergar o mesmo assunto. Além disso, somos mutáveis e as nossas experiencias diárias podem alterar a forma que vemos o nosso enredo.


Sendo assim, essas “mudanças” precisam ficar controladas em um bloco de notas, com a finalidade de serem acessados depois.


O mesmo funciona para os inícios. Anote todas as ideias que surgem, esqueça a ordem, apenas anote ou faça um áudio ou digite, não importa.


A mesma ideia nunca bate duas vezes na mesma porta, então, dê ouvidos aos instantes preciosos de “e se...”.


4 – Faça o Mapa Mental do Escritor


O que significa mapa mental? É simplesmente colocar suas ideias em esferas, realmente iniciar a organização daquela explosão fantástica de inspiração.


Gosto de fragmentar meus despertares em: mundo, personagens e enredo. Costumam vir tudo junto, a imagem de onde a história vai ser, na visão da personagem e com uma trama que esse ser carrega.


Porém, na hora de realmente analisar cada fragmento, vou separando as camadas da história e fazendo um mapa de conexão.


Os mapas mentais ajudam a focar sua cabeça em um determinado ponto por vez. Tentar construir todos os aspectos de uma história ao mesmo tempo só te levará a frustração e a perder tempo.


Tente imaginar sua história como um muro, para erguê-lo você precisará fazer a projeção, depois o cimento, então enfileiras cada tijolo por vez e por fim terá os acabamentos. Do mesmo jeito funcionará a sua escrita.


Criar esses mapas potencializará seu trabalho e treinará a sua mente para trabalhar em diversos aspectos da criatividade.


5 – Separe suas Histórias em Blocos


Após os mapas, está na hora de trabalhar em cada esfera de forma única, para então unificar.


Sendo assim, trabalhe em blocos isolados do seu enredo. Trabalhe unicamente em seu enredo, seus personagens, suas tramas principais, tramas secundárias, objetivos e premissa.


Colocar sua ideia em uma ordem de trabalho ajudará a construí-la melhor, a enxergar os pormenores, os possíveis furos e onde demandará mais ou menos tempo e esforço.


Fragmentar sua dedicação após a explosão das ideias vai otimizar seu tempo e melhorar seu foco.


6 – Elabore Roteiros


Qualquer bom enredo tem um roteiro que se prese. É como uma ferrovia, para que o trem possa trafegar é preciso ter um bom objetivo de destino, conectar cidades, ser bem construída e permitir a fluidez do trem por sobre seus ferros.


Do mesmo jeito vai funcionar a sua obra. Existe as fases da criação, que começa com a ideia, depois vem o planejamento de cada elemento da sua história e por fim a organização da mesma em uma sequência lógica.


Comece sempre com o objetivo, para facilitar separei algumas perguntas que podem te ajudar.

  1. Qual é a sua intensão com aqueles escritos?

  2. Existe uma premissa?

  3. Qual a mensagem por trás de toda a aventura e ficção?

  4. Que tipo de leitor quero atingir?

  5. Quais sentimentos quero despertar?

  6. Será uma saga ou um livro único?

  7. Quantos personagens principais terá?

  8. Quantos personagens secundários?

  9. Quantas páginas terá meu livro?

  10. Em quanto tempo quero terminar a história?

Respondendo essas questões tenho certeza de que vai conseguir fluir melhor a formação do seu roteiro.


Não esqueça de que o roteiro possui o objetivo de te guiar na história, seja ele extremamente bem detalhado ou mais intuitivo. O importante é cumprir a função de direcionar a sua escrita.


7 – Faça Fichas de Personagens


Personalidades marcantes exigem trabalho intenso e uma noção boa de psicologia humana. Um dos maiores pesares em qualquer enredo são personagens fracos, totalmente genéricos e que mudam de caráter a todo instante.


Como criar personagens marcantes? Criando fichas de personagens!


Uma personagem é uma pessoa (não necessária humana, pode ser de outra raça, inclusive criada por você) e para tal possui traumas, medos, qualidades, defeitos, sonhos e desejos. E bons personagens precisam ser complexos, possuírem camadas de personalidades.


O objetivo de uma personagem é despertar a empatia, é fazer o leitor se sentir dentro daquela história, através daquele serzinho que você criou.


Fiz um vídeo no meu Instagram dando algumas dicas de como montar uma boa ficha de personagem, mas para te ajudar deixo uma lista guia:


Sua Ficha Personagem Precisa ter:

  1. Nome do Personagem;

  2. Idade;

  3. Gênero;

  4. Principal característica;

  5. Principal defeito;

  6. Trauma;

  7. Sonhos e Desejos;

  8. Pequena Biografia.

8 – Ressalte a Premissa


A premissa é o coração da sua história, ela consiste na mensagem que seu leitor levará para casa ao encerrar a leitura.


Saber a premissa facilita a criação dos personagens e a elaboração do enredo. Ela é seu rumo principal, se for colocar em ordem de importância é a representação do tal amuleto sagrado das típicas histórias de aventuras.


Tenha uma mensagem, seja ela uma crítica social, política, ou uma ressalva de algo que você acredita. Não importa qual, apenas que exista.


Qualquer história possui um sentido de ser. Leitores são marcados pelo despertar da empatia, por enxergarem razões palpáveis no andar da sua jornada.

Histórias vazias, genéricas e sem peso tendem a cair no esquecimento.


9 – Metas de Escrita Viáveis


Logicamente que se organizar é primordial, mas o melhor é conseguir sustentar as suas metas.


Pensar em metas viáveis, que você possa cumprir sem estresse demasiado, trará uma experiencia melhor nesse processo de escrever e nessa vida de escritor.


Ao elaborar suas metas pense em um funil, que sai do mais largo até chegar em um cano mais fino. Coloque três tipos de prazos para sua escrita:

  • Longo prazo: demanda mais tempo. Pensando como escritor, são as datas de finalização do livro, de primeira revisão, quando enviar para corretores e diagramadores. São pensados em anos.

  • Médio Prazo: os que consomem mais ou menos o seu tempo. Encerrar os primeiros planejamentos, finalizar roteiros e fichas de personagens. Esses são contados em alguns meses.

  • Curto Prazo: os que consomem menos seu tempo, pensados em dias ou semanas. É aqui que ficam as metas, pois você poderá usar a divisão em blocos e como finalizará cada um ao longo das semanas.

10 – Respeito seus Momentos de “Nada”


Durante o processo de criação e trabalho é importante respeitar os momentos de ócio. Aquele famoso “nada”.


Simplesmente não pensar, aproveitar para se curtir, cuidar do cabelo ou da pele. Ou assistir, ler um livro, ouvir uma música de olhos fechados.


Saber respeitar os limites, entender o cansaço mental e separar alguns minutos do seu dia para esvaziar os pensamentos te dará qualidade de vida mental.


Todo e qualquer trabalho demanda descanso, mas nem sempre esse relaxar é físico. Ter consciência da importância das pausas, saber respeitar seus limites, entender que sua mente precisa descansar, ajudará na construção do seu projeto.


A falta de descanso eleva o estresse e a criatividade é inversamente proporcional ao mesmo. Quanto mais tenso estiver, menor será a sua produtividade.

Goste do ócio, da ausência de pensamentos, o apreciar da paisagem, do silencio mental.


Cuidar da sua saúde física, emocional, psicológica e mental é prioridade e deve ser considerada em todo o processo.


Espero ter ajudado!


Não esqueça de se inscrever no blog. E, me diz, qual dessas você já faz e qual acha mais difícil?


Beijos de Fogo.


10 Técnicas de Escrita Criativa Infalíveis Para Escritores (Foto do Pexels)

Mar Dos Lamentos espera você. Uma ficção de tirar o fôlego, três aventuras para jamais esquecer. Adquira o seu clicando nesse link.


Não esqueça de se inscrever! Recebe as novidades da semana em primeira mão.


Se ainda não me conhece de verdade, venha descobrir meus passos no mundo da escrita no Diário do Escritor.


Mais resenhas de livros incríveis? Então venha para a Estante Literária Rhaekyrion conferir as indicações.


Conheça Escritores Nacionais e suas histórias inspiradoras acessando esse link.


Dicas de Escrita na prática, para valer e de forma didática só se vê por aqui.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Twitter
  • Pinterest

© 2020, criado e editado por Clara Ciríaco.

livros, escritores, dicas de escrita e escrita criativa